Reserva de contingência : Onde investir?

A reserva de contingência é uma precaução indispensável, sobretudo, nos tempos atuais. Por isso, é preciso saber como calculá-la, a fim de que sua finalidade seja, efetivamente, atingida. Se você estiver pensando em ter a sua reserva emergencial, confira agora 5 opções de onde investi-la!  

O que é reserva de contingência?

A reserva de contingência é um montante aplicado em um investimento com destinação emergencial. Ou seja, trata-se de um dinheiro “guardado” de uso potencial, cuja única finalidade é suprir suas necessidades em situações de necessidade.

Por exemplo, problemas de saúde, perda do emprego, acidentes, etc. Portanto, a reserva contingencial é o nome que a economia dá à prevenção de riscos.  No mundo empresarial, o sinônimo seria “capital de giro”.

Como se calcula a reserva de contingência?

Em regra, calcula-se o valor da reserva emergencial sobre o período de 3 meses. O cálculo é feito da seguinte forma: você irá multiplicar o valor dos seus custos mensais por 3. Por exemplo, digamos que o seu custo mensal de vida seja de R$ 3 mil reais. Logo, sua reserva de contingência deverá ser de R$ 9 mil.

Mas, é claro, a quantidade de meses sobre a qual se calcula o valor, a título de reserva contingencial, varia muito de acordo com as particularidades da vida de cada um. O recomendado, no entanto, é que não seja menor que 3 meses.

Portanto, conheça a sua realidade, os seus gastos, o prazo dos seus compromissos financeiros mensais e, só então, calcule a sua reserva emergencial.

Onde investir a reserva de emergência?

Que é preciso ter uma reserva contingencial você já sabe. Agora, a questão é: onde investir? Sim, porque você não vai guardar este dinheiro embaixo do colchão, não é mesmo? Portanto, veja algumas das possíveis aplicações de sua reserva.

1. Tesouro Selic

Opção mais segura para a sua reserva emergencial, pois se trata de um título do Tesouro Direto, do Governo Federal. Basicamente, é como se você emprestasse dinheiro para o Estado, daí você recebe um valor acrescido de juros, que são de 100% da Taxa Selic.

2. CDB com liquidez diária

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) possibilita que empreste dinheiro para um banco e receba juros, calculados com base na taxa do CDI.

3. Contas digitais com remuneração pelo CDI

Os bancos digitais surgem como uma excelente opção não só de praticidade, mas também de investimentos. Muitos deles oferecem uma rentabilidade até maior que a dos bancos tradicionais. Como exemplos temos: Digio, PagBank, Nubank, C6 Bank, Mercado Pago, etc.

4. LCI ou LCA com liquidez diária

Trata-se de títulos de crédito utilizados para financiar empresas privadas no ramo do setor imobiliário e do agronegócio. A grande vantagem é a isenção do Imposto de Renda.

5. Fundos de renda fixa

Uma das modalidades dos fundos de renda fixa são os fundos DI – sinônimo de CDI. O valor do seu patrimônio é aplicado em títulos públicos pós-fixados e vinculados às taxas Selic ou ao CDI.

E aí, pronto para investir sua reserva de contingência? Então, conte-nos!