Juros: Entenda tudo sobre o inimigo das finanças

Vamos conhecer um pouco mais sobre o Juros, o inimigo dos devedores e endividados? Neste artigo, vamos te contar tudo o que você precisa saber sobre ele, de forma que consiga manter as suas finanças em ordem.

Juros: O que são?

O Juro é a remuneração cobrada pelo empréstimo de dinheiro, que geralmente, é expresso como um percentual sobre o valor emprestado (a taxa de juro) e pode ser calculado de duas formas: juros simples ou juros compostos.

  • Juros Simples: Neste caso, a correção é aplicada a cada período e considera apenas o valor inicial.
  • Juros Composto: a correção do valor é feita em cima de valores já corrigidos, também são chamados também de juros sobre juros.

Os juros são, em outras palavras, uma forma de compensação, destinada ao credor (aquele que tem algo a receber), pelo tempo que ficará sem utilizar o dinheiro emprestado.

O que é a taxa básica de juros?

A taxa básica de juros, ou Taxa Selic, é um indicador que demonstra, com exclusividade, o percentual do custo de determinado capital ao longo do tempo.

  • Perspectiva do devedor sobre a taxa de juros: a taxa de juros, neste caso, mostra o custo que o dinheiro pego emprestado terá ao longo do tempo e o valor que será pago ao credor – supervalorização do valor a ser pago ao credor –.
  • Perspectiva do credor sobre a taxa de juros: neste outro caso, a taxa de juros mostra o custo que o seu devedor terá de pagar para utilizar da disponibilidade do recurso do poupador.

Claro que precisamos levar em consideração que, as taxas de juros de aplicações e de empréstimos variam muito, dependendo de cada operação. Ou seja, isso significa que quanto mais segura for a operação, menor a taxa e, quanto mais arriscada, maior o juro.

No Brasil, a Taxa Selic é definida a cada 45 dias pelo Banco Central e na economia brasileira, funciona da seguinte forma: Quanto maior a Selic, maiores são as taxas praticadas no mercado. E quanto menor o indicador, menores são os juros cobrados por instituições financeiras e recebidos por investidores.

Juros altos: Efeitos na economia brasileira

Confira neste tópico, as principais consequências do juro alto na economia brasileira.

Você sabia que os juros altos são um reflexo direto da inadimplência?

Pois bem, apesar dos brasileiros estarem cada vez mais cuidadosos e interessados pelo planejamento financeiro pessoal, a inadimplência no país ainda é bem grande, o que faz os bancos se protegerem na hora de ofertar crédito, o que contribui para que os bancos aumentem as taxas de juros como garantia de atrasos e faltas de pagamento.

Devido a isso, o Banco Central, por sua vez, elevou a Selic (a taxa básica de juros), em um ponto percentual, de 11,75% ao ano para 12,75% ao ano. Este é o décimo aumento seguido, e a trajetória de alta foi iniciada em março do ano passado.

Porém, para tentar controlar a alta dos preços, muitas instituições financeiras vêm aumentando o custo do dinheiro, o que, na prática, se traduz em crédito mais caro.