Guardar dinheiro em cofres, prejudica a economia?

Uma prática comum em muitos lugares do mundo, é guardar dinheiro físico em cofres, mas será que essa ação, prejudica a economia?

Veja tudo o que você precisa saber sobre o assunto e tenha cuidado com alguns vícios comportamentais que podem ser prejudiciais a sua vida financeira.

Confira!

Guardar dinheiro em cofres prejudica a economia brasileira?

A resposta é SIM! Apesar de mais da metade da população guardar dinheiro físico em casa de alguma forma, saiba que essa ação traz inúmeras desvantagens, não só para o seu bolso, mas também para a economia brasileira.

Veja algumas desvantagens do processo e opte por formas mais seguras de guardar seu dinheiro. Confira!

Desvantagens:

  • O dinheiro do cofrinho pode ser roubado;

Manter altas quantidades de cédulas e moedas em casa aumenta os riscos de esse dinheiro ser roubado ou furtado em uma ação criminosa.

Por isso, deixar dinheiro no cofrinho é arriscado e, na primeira oportunidade, ele pode ser levado por alguém mal-intencionado.

Então, para evitar esse tipo de problemas, que tal usar uma conta digital para isso?

  • Notas e moedas podem estragar ou perder a validade;

Outro motivo para você evitar os cofrinhos é evitar que as notas estraguem com umidade e bolor, indícios de deixá-las guardadas e sem circulação, antes de você conseguir usar esse dinheiro.

Além disso, outro problema é que notas e moedas são retiradas de circulação ao longo dos anos. Dessa forma, se uma determinada moeda ou cédula deixa de valer no comércio, ela vira peça de colecionador ou museu, sem utilidade para compras.

  • Recursos parados perdem valor;

Falando diretamente sobre efeitos causados na economia brasileira, a alta de preços, também chamada de inflação, reduz o poder de compra ao subir o valor de mercadorias e serviços.

Por isso, se o seu dinheiro fica guardado, ele perde valor ainda mais. Para que você entenda melhor a situação, veja o exemplo abaixo:

Imagine que uma pessoa colocou em um cofrinho R$ 100,00. No momento em que ela fez isso, esse dinheiro permitia comprar uma determinada quantidade de produtos no supermercado.

Agora, depois de 1 ano desse dinheiro guardado, os preços do supermercado subiram e os R$ 100,00 vão render menos e, dessa forma, não será possível comprar a mesma quantidade de mercadorias do que no ano anterior.

  • O dinheiro deixa de circular na economia;

Claro que nem só de valores se faz a economia, não é mesmo? Para que haja um bom funcionamento econômico, moedas e notas precisam estar em circulação, dessa forma, gera a dificuldade de troco no comércio e consequentemente, emissão de mais notas para cobrir a falta das que estão guardadas.

O que causa problemas sérios em questões de inflação.

Afinal de contas, ter um cofrinho de moedas realmente vale a pena?

Para esclarecer, manter dinheiro vivo em casa, como cédulas e moedas só vale a pena em situações específicas e nunca deve ser feito com valores altos.

Veja abaixo, algumas situações em que ter dinheiro num cofrinho pode ser útil:

  • Ensinar educação financeira para as crianças;
  • Para utilizar em compras pequenas e recorrentes como em padarias, feiras, transporte público e muitos outros;
  • Estar preparado para situações em que não aceitam cartões nas compras;
  • Para trocar por prêmios em alguns estabelecimentos que pedem grande quantidade de moedas que precisam abastecer o caixa e dessa forma, usar as cédulas como troco.

Agora que já sabemos dos principais efeitos que guardar dinheiro pode trazer para a economia, que tal utilizarmos nosso dinheiro de forma saudável?

Dessa forma, contribuímos para o bem-estar da economia brasileira e claro, para nossa saúde financeira.

Pratique!