Finanças para autônomos: não passe aperto!

Há dicas de finanças para autônomos que, se aplicadas, são capazes de ajudá-lo a se submeter cada vez menos às perigosas imprevisões de suas finanças. Afinal, sabemos que todo mundo que faz parte do mundo do trabalho está sujeito a imprevisibilidades financeiras, seja trabalhador ou empregador.

Mas, no caso do autônomo, a coisa é ainda mais imprevisível e insegura. Isso porque, se o trabalhador formal pode contar com vantagens como seguro-desemprego, por exemplo, o autônomo é, ao mesmo, tempo patrão e empregado de si mesmo. Portanto, é preciso saber lidar com as próprias finanças, duplamente!

Pensando nisso, selecionamos 5 dicas de finanças para autônomos nunca mais passarem aperto! Confira!

1. Planejamento financeiro de curto, médio e longo prazo

O autônomo precisa se antecipar, ao máximo, às imprevisibilidades financeiras. E forma mais segura de fazer isso é ter um planejamento financeiro que contemple despesas de curto, médio e longo prazo, nesta ordem. Logo, comece organizando suas finanças para o período de um mês.

Primeiro, anote todas as suas despesas fixas, como aluguel, internet, condomínio, prestação de carro/casa, mensalidade de escola, se for o caso, etc. Depois, estabeleça uma média para as despesas variáveis, como energia, mercado, gasolina, etc. Em seguida, compatibilize essas despesas com sua média de ganhos no mês.  

Assim, você saberá exatamente de quanto precisa para suas necessidades mais imediatas e, com isso, poderá fazer projeções para médio e longo prazo. Não se esqueça de considerar, no planejamento de longo prazo, despesas anuais, como impostos de carro e casa, seguros, viagens, etc.

2. Nunca misture contas pessoais com contas profissionais: o autônomo precisa priorizar o que o sustenta!

Entre as dicas de finanças para autônomos, esta é, com certeza, a mais básica, porque é regra número um para viabilizar qualquer empreendimento. Você, autônomo, nunca pode cometer o erro de misturar suas contas pessoais com as contas profissionais. Isso porque, assim, você prejudicará tanto as suas contas e quanto as contas do seu negócio, desfalcando ambas!

Portanto, faça essa separação e, para fins de organização de suas finanças, enquanto autônomo, conte apenas com recursos próprios. Lembre-se sempre de preservar a estrutura que lhe permite viver como autônomo.

3. Cuidado ao assumir despesas de longo prazo

Esta é outra dica de economia muito importante para autônomos. Isso porque, como você não tem certeza em relação às suas entradas, contrair dívidas com prazos longos pode comprometer a sua saúde financeira, fazendo com que você tenha, por exemplo, de contar com sua reserva para sair de um eventual aperto.

Portanto, o ideal é que uma pessoa autônoma, a fim de não de prejudicar, tenha dívidas também de curto prazo, ou seja, de 2 a 4 meses, no máximo.

4. Priorize ter e manter uma reserva financeira

É indispensável que você, autônomo, tenha uma reserva contingencial. Isso porque será com ela que você irá se sentir mais seguro de que, acontecendo imprevistos danosos às suas economias, você terá com o que cobrir.

Em regra, calcula-se, a título de reserva de emergência, no mínimo, o montante de todas as suas despesas mensais multiplicado por três meses. Ou seja, se sua despesa total no mês for de R$ 5 mil reais, sua reserva contingencial para três meses será de R$ 15 mil reais. Mas tudo depende, é claro, das particularidades de cada um. Logo, a depender do seu caso, essa reserva pode ser de 5 ou 6 meses, por exemplo.

5. Prepare-se para a sua velhice

A única certeza de que temos é que, se tudo der certo, a velhice vai chegar, não é mesmo? E, com ela, a necessidade física de diminuir o ritmo de trabalho e o aumento dos cuidados com a saúde. Portanto, sabendo disso, você, autônomo, precisa se preparar para esta etapa de sua vida, seja contribuindo com o INSS ou optando por uma previdência privada.

E, então, o que achou destas dicas de finanças para autônomos? Deixe seu comentário!